Complicações capilares pós covid

Tempo de leitura: 2 minutos

Em virtude dos aumentos dos casos de coronavírus, as complicações capilares pós covid-19 têm sido frequentes no consultório. Os pacientes que tiveram formas mais graves ou sintomáticas do covid geralmente apresentam, até 3 meses após a resolução do caso, uma queda acentuada de cabelo.

O que é a queda de cabelo conhecida como alopecia areata? Veja causas e  tratamentos recomendados | GZH

Nesse sentido, muitos pacientes me procuram por conta de uma queda capilar que ocorre após até três meses após o diagnóstico de covid. Geralmente, são pacientes que tiveram sintomas, ou seja, aqueles pacientes assintomáticos, normalmente, não possuem a queixa de queda capilar. 

Nas anamneses, entrevistas realizadas pelo profissional de saúde ao seu paciente, que objetivam ser um ponto inicial no diagnóstico, a investigação acerca do quadro de covid do paciente tem a intenção de observar os dados mais relevantes. 

Aqueles pacientes que tiveram picos febris maiores tiveram mais tendência à queda capilar. Além disso, os pacientes que fizeram uso de antibiótico, ou medicações como corticóide, por um tempo mais prolongado também estiveram propícios à queda capilar. No que diz respeito aos que foram internados, entubados e/ou passaram por complicações maiores, como perda de saturação, que é a dificuldade de oxigenação sanguínea, também tiveram maior frequência na queda capilar.

MAS POR QUE ISTO OCORRE? 

A situação de estresse já promove e permite um quadro de queda capilar difusa, que é a característica que enxergamos nessa alopecia pós covid-19. Então, não é uma queda capilar focal. Sabemos que não é uma perda do folículo, que é a unidade que produz os fios de cabelo, mas sim uma perda de cabelo. 

Em um quadro infeccioso, muitas vezes o folículo capilar fica inibido de produzir novos fios, e aquele fio que está produzido e permanece no nosso couro cabeludo por anos acaba caindo e se destacando do couro cabeludo com maior facilidade. Nesse ponto, aqueles pacientes que tiveram um maior pico febril, tem uma tendência maior de soltura desses fios. 

Algumas medicações, como antibióticos e corticóides, também podem interferir na qualidade do folículo e resultar em uma queda capilar mais acentuada. Sem contar com as circunstâncias de alteração da própria imunidade do organismo, o estresse oxidativo, a alteração metabólica local, que acabam interferindo na qualidade do folículo e, por consequência, na queda capilar. 

É POSSÍVEL BLOQUEAR A QUEDA? 

Essa queda capilar é recuperável, desde que o bloqueio seja efetuado o mais breve possível, evitando que se caia todos os fios do folículo e o folículo cicatrize, pois se o folículo cicatrizar dificilmente é possível conseguir resgatá-lo em um tratamento clínico. 

Uma vez que você esteja apresentando queda capilar, busque imediatamente um médico dermatologista para que seja instituído um tratamento que bloqueie a perda e também estimule o folículo a produzir novos fios!

Deixe uma resposta