Impinge: causas, sintomas e tratamentos

Tempo de leitura: 3 minutos

A impinge, também conhecida como tinha ou dermatofitose, é uma infecção fúngica da pele que afeta principalmente a camada superficial, como a pele, unhas e cabelos. Essa condição é altamente contagiosa e pode se espalhar facilmente de uma pessoa para outra ou através do contato com objetos contaminados.
Neste artigo, discutiremos as causas, sintomas e opções de tratamento para a impinge.

Causas da impinge:

A impinge é causada por fungos dermatófitos, que são organismos que se alimentam de queratina, uma proteína encontrada na pele, cabelos e unhas. Os fungos dermatófitos mais comuns associados à impinge incluem Trichophyton, Microsporum e Epidermophyton. A infecção ocorre quando esses fungos penetram na pele, normalmente através de pequenas lesões ou contato direto com uma pessoa ou objeto infectado.

Sintomas da impinge:

Os sintomas da impinge podem variar dependendo da área afetada. No entanto, geralmente incluem:
  1. Lesões na pele: As lesões podem aparecer como manchas avermelhadas e circulares, com bordas elevadas e descamativas. Essas lesões podem causar coceira intensa e irritação.
  2. Queda de cabelo: Se a impinge afetar o couro cabeludo, pode levar à queda de cabelo em áreas específicas.
  3. Unhas danificadas: Se as unhas forem afetadas, podem ficar espessas, descoloridas e frágeis. Podem ocorrer mudanças na aparência, como manchas brancas ou amareladas.
  4. Prurido: Coceira intensa é um sintoma comum da impinge e pode ser muito incômoda para a pessoa afetada.

Tratamentos para impinge:

O tratamento da impinge geralmente envolve o uso de antifúngicos tópicos ou orais, dependendo da gravidade da infecção.
Aqui estão algumas opções de tratamento comumente utilizadas:
  1. Antifúngicos tópicos: Cremes, loções ou sprays antifúngicos são aplicados diretamente na área afetada. Esses medicamentos ajudam a combater o crescimento dos fungos e aliviam os sintomas. É importante seguir as instruções de uso e continuar o tratamento pelo tempo recomendado pelo médico, mesmo que os sintomas desapareçam antes.
  2. Antifúngicos orais: Em casos mais graves ou quando a infecção se espalha para áreas extensas do corpo, o médico pode prescrever antifúngicos orais. Esses medicamentos agem sistemicamente, combatendo os fungos de dentro para fora. Geralmente, são necessárias algumas semanas de tratamento com antifúngicos orais para eliminar completamente a infecção.
  3. Medidas adicionais: Além do tratamento medicamentoso, algumas medidas adicionais podem ajudar no combate à impinge. Manter a área afetada limpa e seca, evitar compartilhar objetos pessoais, como toalhas, roupas e escovas, e lavar regularmente roupas e roupas de cama em água quente são algumas práticas recomendadas.

Prevenção da impinge:

Para prevenir a impinge, é importante adotar algumas medidas preventivas, especialmente em ambientes onde a infecção é comum. Aqui estão algumas dicas:
  1. Mantenha a higiene pessoal: Lave regularmente as mãos e o corpo com água e sabão.
  2. Evite compartilhar objetos pessoais: Não compartilhe toalhas, roupas, escovas de cabelo e outros objetos pessoais com outras pessoas.
  3. Mantenha a pele seca: A umidade favorece o crescimento de fungos. Portanto, mantenha a pele seca, principalmente em áreas propensas à transpiração, como axilas, virilhas e entre os dedos dos pés.
  4. Use calçados e roupas adequadas: Use sapatos ventilados e roupas leves que permitam a circulação de ar, especialmente durante atividades físicas intensas.
  5. Evite andar descalço em locais públicos: Ao usar áreas comuns, como vestiários, piscinas e academias, é aconselhável usar chinelos ou calçados.

Conclusão:

A impinge é uma infecção fúngica da pele que pode causar desconforto e irritação. É importante procurar um dermatologista para obter um diagnóstico adequado e iniciar o tratamento o mais rápido possível. Além disso, seguir as medidas preventivas pode ajudar a reduzir o risco de contrair ou espalhar a infecção. Lembre-se de que a informação fornecida neste artigo é apenas para fins informativos e não substitui a consulta médica.

Deixe uma resposta