Melasma profundo, como tratar?

Tempo de leitura: 1 minuto

O melasma profundo está associado à deposição dos pigmentos da melanina nas camadas mais profundas da pele. Sabemos que os melanócitos, células que produzem a melanina, se localizam na camada mais basal da epiderme e dali, através das suas projeções, transportam o pigmento para dentro do queratinócito, que fica nas camadas mais superficiais da pele. Porém, essa melanina produzida também pode se depositar nas camadas mais superficiais da derme, dando origem ao melasma profundo. 

Se você entendeu que o melasma se encontra na derme, os tratamentos tópicos não são capazes de causar efeitos tão expressivos na degradação da melanina acumulada na camada mais superficial da derme. Por conta disso, os cremes clareadores e os peelings faciais não terão um resultado efetivo. 

Lembrando que, quando se trata do melasma, nenhum médico ou profissional da estética pode prometer a resolução completa do problema, pois este distúrbio pode voltar a aparecer mediante a algum estímulo. 

Melasma não tem cura! Tem tratamento e controle.

Assim, para tratamento de melasma, costumo trabalhar com a mesoterapia, a partir da injeção/aplicação de micropápulas de princípios ativos que degradam essa melanina de camadas mais profundas e inibe a produção de uma nova melanina. Dessa forma, o tratamento será muito mais efetivo e o complemento com peelings também é satisfatório. 

Lembrando que o cuidado pós tratamento é fundamental para o paciente, porque não é uma situação que tem cura!

Deixe uma resposta