Rugas de face: Tratamento clínico ou cirúrgico?

Tempo de leitura: 1 minuto

Tratamento clínico ou cirúrgico para rugas de face? Essa pergunta costuma ser muito frequente no consultório! E, tratando-se de indicar tratamento clínico ou cirúrgico, o dermatologista precisa ser muito assertivo. Assim, o exame físico do paciente, o diagnóstico da disfunção e o alinhamento da expectativa que o paciente tem com o tratamento são considerações indispensáveis na hora de efetuar a melhor indicação técnica!

Porém, é importante se atentar para graus mais avançados de flacidez facial da pele, pois estes não vão ter uma recuperação total com tratamentos clínicos. Logo, a indicação cirúrgica é mais frequente para estes casos.

Tratando-se da flacidez da pálpebra, por exemplo, é possível corrigir esta pele por uma quantidade de x milímetros de tração, usando princípios como peelings. Mas, se a queda for muito acentuada, apenas procedimentos cirúrgicos oferecem uma resolução satisfatória. 

Todo tratamento clínico vai gerar um resultado positivo para o paciente, independente do seu grau de flacidez. Se vai ter o resultado que ele deseja, ou se vai corrigir a disfunção que ele possui, é outro questionamento, e isso precisa ser levado em consideração no ato da consulta.

Dessa forma, o primeiro ponto é alinhar a expectativa do paciente ao resultado esperado com o tratamento clínico. Geralmente, para os graus mais avançados de flacidez, sempre começo com peelings, para que se tenha uma correção dessa pele.

Por fim, reposicionar ou preencher uma região com uso de preenchedores e a toxina botulínica. 

Deixe uma resposta