Teste genético para alopecia

Tempo de leitura: 1 minuto

Os exames genéticos para alopecia possuem uma efetividade muito grande, pois são específicos e analisam os genes ligados à alopecia. Particularmente, no meu consultório, realizo testes genéticos para alopecia, principalmente quando se trata daquelas mais resistentes ao tratamento. 

Mas por qual motivo? A motivação não se resume apenas ao diagnóstico, pois um diagnóstico de alopecia androgenética se faz por avaliação clínica, no exame físico você já determina qual é o tipo de alopecia. A questão é aquele paciente que sofre com outras comorbidades, como lupus, hipotireodismo e outras doenças que podem estar associadas à queda capilar. Ou então aquele paciente que já está em tratamento mas o retorno efetivo tem sido difícil. 

No exame, são avaliados os genes do seu material genético e genes que compõem diversas famílias de comportamento como genes ligados ao metabolismo da prostaglandina, processos inflamatórios, efeitos androgênicos, vasodilatadores, sínteses de colágeno, vitaminas, sais minerais, etc. 

Neste sentido, analisando o resultado do exame você consegue saber a característica da sua alopecia, mesmo sendo esta já determinada. Logo, tendo consciência dos genes que estão impactando, pode-se estabelecer os princípios ativos que serão mais efetivos no tratamento.

Já possuo o Protocolo Triko como tratamento padrão, que tem um ótimo resultado. Mas, quando vejo o resultado do exame genético para alopecia, posso avaliar se é preciso aplicar uma conduta paralela de abordagem a esta característica genética.

O exame é bem simples, apenas passar o suabe, um instrumento parecido com um cotonete, na cavidade oral e só. Não precisa de coleta de sangue nem nada invasivo. A partir dessa coleta, podemos determinar o sequenciamento genético relacionado a alopecia e deixar o tratamento mais específico e costumizado, quando necessário.

Deixe uma resposta