Vitiligo: Doença que causa despigmentação da pele na forma de manchas

Tempo de leitura: 1 minuto

O vitiligo é uma doença caracterizada por uma despigmentação da pele em região localizada ou em áreas um pouco maiores e está associada a destruição dos melanócitos, que são as células produtoras de melanina. 

Existem duas teorias principais que explicam o vitiligo: a citotóxica, que defende que algumas substâncias poderiam ter provocado a mancha hipocrômica, como o uso indiscriminado da hidroquinona, que é um clareador; e a teoria neural, que seria uma incidência segmentar do vitiligo sobre uma pinta ou a região de um nervo onde o paciente teria inicialmente. Ou seja, essa lesão teria uma característica de destruição dos melanócitos, resultando numa hipopigmentação. 

Além destas duas, existe a teoria autoimune, que seria constituída na formação de anticorpos que atacaram e destruíram o melanócito na região, gerando então uma despigmentação em placas. 

Hoje, não é possível combater o vitiligo, mas possuímos princípios ativos que conseguem estimular, de alguma forma, a pigmentação das regiões atingidas pela doença. Assim, passar um produto irritativo ao melanócito na região faz com que as células que estão às bordas da lesão produzam pigmento, ocupando a localidade. Quando as lesões são menores, é possível conseguir uma boa recuperação da pigmentação desta região. 

Por fim, trabalhar a recuperação do pigmento da região é possível, de acordo com o tamanho da lesão, porém o vitiligo, a princípio, não tem cura. 

Deixe uma resposta